Buscar
  • Cristina Carvalho Tomasi

UM NOVO OLHAR SOBRE A PERSPECTIVA DA GRADUAÇÃO EAD NO BRASIL


Autora: Neise Aparecida do Nascimento Graduada em Ciências Contábeis - Especialização em Docência do Ensino Superior e em Finanças,Controladoria e Auditoria


O ensino a distância surgiu em decorrência da necessidade social de proporcionar educação a segmentos da população não servidos pelo sistema tradicional de ensino. É uma oportunidade de estudo oferecida a jovens e adultos, donas de casa, engajados na força de trabalho que não podem deixar seus filhos e outra obrigações da família para frequentar cursos totalmente presenciais. É nessa perspectiva que são apresentados os elementos que constituem uma nova ferramenta para democratização do ensino superior no Brasil. Um pouco antes de 1900 já haviam anúncios em jornais de grande circulação no Rio de Janeiro oferecendo cursos profissionais por correspondência. Os cursos oferecidos eram todos voltados para pessoas que pretendiam estar empregadas nas diversas áreas como comércio e no setor de serviços. O ensino por correspondência tinha seus materiais enviados pelo correios. E este tipo de curso oferecido ficou por mais ou menos 20 anos. Em 1923 surgiu a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. A principal função da emissora era a de possibilitar a educação popular, através de um sistema de difusão que acontecia no Brasil e no Mundo. A rádio funcionava nas dependências de uma escola superior mantida pelo Poder Público. Por fortes pressões surgiram as mudanças de rumo da entidade e os instituidores tiveram que doar a emissora para o Ministério da Educação e Saúde. Vale lembrar que até 1930 não existia um Ministério que cuidasse apenas da educação e os assuntos relacionados a este assunto eram tratados em órgãos que tinham outras funções. 3 A partir de 1937 foram criados inúmeros programas, especialmente privados do serviço de Radiodifusão Educativa do Ministério da Educação.O SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial iniciou, que iniciou suas atividades em 1946, logo a seguir desenvolveu no Rio de Janeiro e em São Paulo a Universidade do Ar que em 1950 já atingia 318 localidades. A Igreja Católica , por meio da Diocese de Natal , criou em 1959 escolas radiofônicas. No sul do Brasil com a Fundação Padre Landell de Moura, no estado do Rio Grande do Sul, foram criados cursos via rádio. Houve o desmonte do ensino EAD via rádio e com isto houve uma grande queda no ranking internacional. Após este desmonte começou a ser utilizada a Televisão para fins educacionais com vários incentivos no Brasil nas décadas de 60 e 70. Em 1967 foi editado o Código Brasileiro de Telecomunicações, determinando o que deve ser transmitido nestes programas de televisão educativa. Em 1969 foi criado o Sistema Avançado de Tecnologias Educacionais, prevendo a utilização de rádio, televisão e outros meios aplicáveis definindo o tempo obrigatório e gratuito que as emissoras comerciais deveriam ceder para a transmissão de programas. No início dos anos 90, as emissoras ficaram desobrigadas de ceder tempos diários para transmissão dos programas educacionais, significando um grande retrocesso. Os computadores chegaram ao Brasil, no campo da educação nas universidades, que instalaram as primeiras máquinas na década de 70. Com estas máquinas a rede mundial de computadores viabilizou o sistema educativo brasileiro e mundial. Em 1971 foi criado a ABT Associação Brasileira de Telesserviços onde ajudou brasileiros e estrangeiros que atuavam nas tecnologias aplicadas à educação. Em 1980, o Governo Federal a credenciou para ministrar "Cursos de Pós-graduação lato sensu de forma não convencional, através de ensino tutorial". Em 1973 foi fundado o Instituto de Pesquisas Avançadas em Educação (IPAE), foi o responsável pela realização dos primeiros Encontros Nacionais de Educação a Distância (em 1989) e os Congressos Brasileiros de Educação a Distância (em 1993). 4 O IPAE permanece funcionando regularmente, possuindo o mais completo acervo sobre a EAD no país. A instituição Associação Brasileira de Educação a Distância(ABED), também vem colaborando no desenvolvimento da educação a distância no Brasil e promovendo a articulação de instituições e profissionais, não só no País, como no exterior. Um dos mais expressivos papéis da ABED foi o de sediar a 22ª Conferência Mundial de Educação Aberta e a Distância, no Rio de Janeiro, em setembro de 2006, da qual participaram educadores de mais de setenta países. Duas universidades merecem citação, por seus pioneirismos: a Universidade Federal de Mato Grosso, que foi a primeira efetivamente a implantar cursos de graduação a distância, e a Universidade Federal do Pará, que recebeu o primeiro parecer oficial de credenciamento, pelo Conselho Nacional de Educação, em 1998. O Brasil conta atualmente com 158 instituições credenciadas pelo Governo Federal para ministrar cursos de graduação e pós-graduação lato sensu. Infelizmente não temos ainda nenhum mestrado ou doutorado usando a modalidade a distância (as instituições permanecem aguardando que a CAPES edite normas para esse fim). O mercado é amplo e promissor para os que atuarem com qualidade e competência. Existem melhorias dos sistemas de comunicação, e isso favorece a expansão.Os custos tendem a se reduzir e, com o decorrer do tempo, a burocracia para os credenciamentos deve ser diminuída, na medida que as instituições alcancem a maturidade desejável pelos órgãos credenciadores.

0 visualização

Educação, Diversidade e Novas Tecnologias