Buscar
  • Cristina Carvalho Tomasi

Intervenção Psicopedagógico e dificuldades de aprendizado “Processo interdisciplinar auxiliar”

Autor: Josias Cardoso - Professor de Teologia, Escritor e Palestrante. Certificado em Ciências da Religião pela Faculdade Sul Mineira (FASULMG), Certificação em Psicologia Positiva – PhD Martin Seligman pela Universidade da Pensilvânia (USA), Graduação “Bacharelando” em Teologia pela Universidade Leonardo da Vinci, Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Faculdade Metropolitana (FAMEESP) de São Paulo. Teólogo formado pelo IBAD (Instituto Bíblico das Assembleias de Deus do Brasil).


Dificuldades de aprendizado, são sem dúvida, disfunções que levam a criança, o adolescente, até mesmo adultos a se distanciarem do convívio social, em razão do chamado “efeito indutor negativo” (EIN), teoria de cunho científico discutido pelo escritor Josias Cardoso (2019) ¹. No tocante a esse efeito, pode-se constatar inúmeros fatores predominantes que associados entre si de forma oculta e por vezes imperceptíveis, se não diagnosticados e tratados, tornam pessoas vítimas desse mal, pela falta de fundamentos educacionais.

Incorporado a esse contexto, muito são as causas, entre eles, proveniente do conceito psicopedagógico: “Fatores Internos e Fatores Externos”, que caso feito análise e investigação adequada, se chegará a um diagnóstico preciso.

Correspondendo, a um desafio pedagógico em que o acadêmico, via de regra transpôs a experimento relacionado a dificuldades de aprendizagem, versaremos através de modo figurado, identificando o personagem com nome fictício, preservando a integridade do mesmo, ora para melhor compreensão.

Lucas, é um adolescente de 17 anos do ensino médio. Dedicado, assíduo nas aulas e trabalhos escolares, no entanto seu rendimento está abaixo do esperado em se tratando de ensino educacional para sua faixa etária de idade. Os demais colegas de classe, sempre são contemplados com notas altas, muitos deles até mesmo moram longe, e mesmo assim se dão ultra bem nas provas (avaliações), compreensão, interação social e aprendizado. Do contrário, Lucas mora perto da escola onde estuda, não perde sequer uma aula, contudo seu aprendizado está comprometido. No penúltimo ano do ensino médio acabou sendo reprovado com notas baixas em disciplinas de: Matemática, Física e Química.

Ao longo do período, fez-se investigação clínica, com intervenções precoce afim de mapear possíveis causas ou problemas específicos do não aprendizado. Descobriu-se, portanto, chegando a um diagnóstico final de que, os problemas ou causas relacionadas ao déficit de atenção, dificuldades de memorização, resolução de problemas matemáticos, e assim por diante classificados como “Fatores Internos”, estavam na verdade, intrinsecamente ligados à “Fatores Externos”, como: Problemas no cotidiano familiar, baixa autoestima, distração, isolamento social, etc. O que nos remete ao conceito teórico (SPA), “Síndrome do Pensamento Acelerado” do escritor Augusto Cury (2003).

Em se tratando de intervenção psicopedagógico, tendo em mãos um diagnóstico preciso de quais foram as causas que em suma afetaram o aprendizado de Lucas, se fez necessário desenvolver técnicas de intervenção elaborando regras educacionais, afim de que os fatores externos fossem eliminados ou posto em segundo plano em sua rotina no cotidiano. A tecnologia, vem tomando conta do universo educacional, familiar, social, enfim, entretanto, tem se tornado em muitos casos um “efeito indutor negativo” (EIN) como estudado pelo professor Josias Cardoso ¹ (2019) em sua teoria sobre fatores e causas que bloqueiam o aprendizado do aluno.

BIBLIOGRAFIA

CURY, Augusto Jorge. Pais Brilhantes Professores Fascinantes. Rio de Janeiro: Sextante, 2003. 58, 59 e 60 pp.

CARDOSO, Jesus Josias. Intervenção Sistêmica Preliminar – Processo Interdisciplinar Auxiliar. Resumo Projeto de Pesquisa Científico – Psicopedagogia Clínica e Institucional.

16 visualizações

Educação, Diversidade e Novas Tecnologias