Buscar
  • Cristina Carvalho Tomasi

Ajuda Estratégica em Leitura, Escrita e Cálculo: Motivação Estratégica

Atualizado: 29 de Ago de 2019

Autor :Josias Cardoso - Professor de Teologia, Escritor e Palestrante. Certificado em Ciências da Religião pela Faculdade Sul Mineira (FASULMG), Certificação em Psicologia Positiva – PhD Martin Seligman pela Universidade da Pensilvânia (USA), Graduação “Bacharelando” em Teologia pela Universidade Leonardo da Vinci, Psicopedagogia Clínica e Institucional pela Faculdade Metropolitana (FAMEESP) de São Paulo. Teólogo formado pelo IBAD (Instituto Bíblico das Assembleias de Deus do Brasil).


O gatilho propulsor, para que crianças, adolescentes, jovens e adultos venham de forma orgânica tomar gosto pela leitura e escrita, é sem dúvida os objetivos que se tem fixado como metas a ser alcançado. Dentre as técnicas de motivação estratégica, estão: Os projetos de pesquisa sobre assuntos de interesse, inserção do conteúdo programático escolar em formatos adequados de acordo com as informações relevantes levantadas pelo docente sobre o perfil dos alunos, direcionar o estudo privilegiando pontos de interesse (temas) que são abordados no conteúdo da matéria, desprendendo-se de aspectos secundários. Todo projeto, método ou estratégia a ser colocado em prática deve se atentar em situar:

· Objetivos (Geralmente, é o fator essencial. Item principal, que fará com que o aluno seja estimulado a leitura).

· Resultados (Esse, é um fator estratégico do projeto. Ao mesmo tempo, em que o aluno busca alcançar seus resultados, visando seus interesses através da leitura em concluir seus objetivos. Suas ações inconscientemente estão produzindo indicações ao docente e ao psicopedagogo sobre o efeito da técnica aplicada).

Exemplos:

1. Procurar elaborar o assunto de Língua Portuguesa (caso for), em formato de histórias em quadrinhos “HQs” (De acordo com o perfil dos alunos). Nesse caso usa-se o formato mais adequado de inserção da matéria conforme o diagnóstico prévio elaborado via dados coletados sobre a classe, escola ou aluno.

2. Incentivar, a pesquisa na busca de verbos, substantivos, adjetivos, frases no plural, e demais assuntos, em revistas, gibis, etc.

Uma investigação inicial, é primordial, para que o psicopedagogo tenha em mãos informações prévias da situação, afim de elaborar ferramentas que estejam de acordo com o contexto do aluno. Ferramentas estas, que estabeleceram intervenção estratégica no intuito de alcançar resultados positivos.


24 visualizações

Educação, Diversidade e Novas Tecnologias